Follow by Email

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Radical conta experiência na Missão Batista Cristolândia

"Eu estou indo para o terceiro estágio do crack. O primeiro é fumar a pedra, o segundo é fumar a raspa (quando eu empresto o meu cachimbo em troca de pedra, porque estou sem grana, fica uma raspa da pedra no cachimbo e ela é mais forte que a pedra... a "brisa" é maior) e o terceiro é "tochar". E quando acaba a raspa e eu fumo o próprio metal do cachimbo derretido... é da hora! Mas eu não sei se eu agüento porque é muito forte e acaba mais depressa com a gente...e eu não quero morrer".

Esse é o relato de C., 36 anos, mãe de cinco filhos, grávida de nove meses no dia desse relato. Uma mulher bonita, bem articulada, que não quer morrer, pois o 4º estágio depois de "tochar" é a morte. Ela já foi mulher de bandido, foi presa e seu marido morreu quando estava na cadeia. Por ser esposa de traficante, recebeu honras e muito dinheiro, mas quando saiu da cadeia para poder se manter, conheceu um cara que a viciou no crack só para roubá-la. Entrou no crack para emagrecer, pois estava acima do peso e o crack inibe a fome. Quando se deu conta, era violentada e sofria maus tratos por parte do cara que a viciou, ouvindo que ela, agora, não era mulher para ele, pois tinha virado um trapo, uma "nóia" (viciada).

C. encontrou forças para entrar na missão depois de muito resistir... sentiu paz e a presença de Deus ao conversar comigo. Sem rumo e sem esperança, saiu da missão com promessas de voltar para o culto do meio-dia, mas não voltou. Fiquei em oração por ela e, duas semanas depois, retornou, irreconhecível, ainda mais acabada. Fiquei surpresa e feliz ao vê-la. Ela me abraçou e se derramou em lágrimas, pois teve seu bebê, que nasceu abaixo do peso e ficou na UTI. Entregou-se a Jesus e orou durante todo o culto, num sincero arrependimento. Seu único pedido ao Senhor é sair dessa situação, recuperar sua filha, voltar para casa e para seu novo marido. Começar uma nova vida.

O projeto é uma bênção. Às 8h chegamos à Missão e temos o devocional com todo o grupo. Às 9h abrimos as portas para o culto público com os "nóias". O culto é uma bênção e, sem seguida, damos um café da manhã e um local para o banho, onde eles recebem roupa limpa. Enquanto esperam o banho, participam do estudo bíblico. Ao meio-dia, temos outro culto público. Logo após o almoço, nos envolvemos em tarefas do projeto. Às sete da noite, temos o terceiro culto público, onde, logo após, é servido um lanche para todos. Muitos "nóias" freqüentam regularmente a Missão Batista Cristolândia e outros vêm uma vez e somem. Em média, atendemos de 30 a 40 pessoas por dia, sem contar as crianças que são assíduas. Temos culto infantil todos os dias.

Dar um banho em uma mulher malcheirosa, ajudar-lhe a vestir as roupas, servir café com pão, almoço, orar por essas pessoas... ajudar-lhes a encaminhar para uma casa de recuperação e ver a vida voltar a ter esperança. Ultimamente, essas têm sido minhas atividades favoritas. Servir a estes é uma oportunidade que Deus me deu e isso me faz feliz. Sei que o meu Jesus faria o mesmo se estivesse por aqui. Certamente, ele passaria um tempo na Cracolândia paulista e levaria o bálsamo de sua presença que cura, restaura e transforma.

Obrigada por sua parceria nesse projeto. Certamente suas orações têm nos sustentado nesses dias. Estou muito feliz e realizada. Sinto estar no centro da vontade de Deus para esse tempo em minha vida.

Por: Elaine Cristina Barcelos de Almeida - voluntária do projeto Radical Brasil na Cracolândia (SP)
Fonte: JMN
Postado por Débora Padoin Malva


Via: www.guiame.com.br

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Não da mais pra ficar calado.

Passamos muito tempo vendo as coisas acontecerem ao nosso redor. As vezes ficamos pasmos, outras vezes lamentando, e sempre querendo achar um culpado. 
A verdade é que, não da mais para ficar calado. Tais atitudes: ficar pasmo, lamentar e culpar alguém não tem colaborado para melhorar a vida de ninguém. Hoje em dia o que não falta é assunto para os noticiários. Pai joga duas filhas dentro de um rio no estado do Espírito Santo. Marido amarra mulher em um aárvore e a espanca por dez minutos e depois estupra a filha de dez anos. Que absurdo não é? acredito que você tenah dito isso. Foi em outro estado que isso aconteceu, distante de nós. Mas pare e pense, quanta coisa está acontecendo debaixo dos nossos olhos, na nossa cidade, no lugar onde Deus nos chamou para ser sal e luz? Eu pergunto pra você. O que você tem feito? Qual a sua atitude quando você descobre que o seu amigo (a) está envolvido com algum tipo de droga? Lamenta, fica pasmo, nunca imaginei que fulano fosse fazer isso, ou tenta colocar a culpa e alguém? Nenhuma dessas atitude, se é que posso chamar isso de atitude, deve ser tomada pelo crente. É inevitável ficarmos chocados com tantas barbaridades que surgem a cada dia, mas também não podemos ignorar as palavras de Pedro e João em Atos 4: 20: não podemos nos calar diante do que temos visto e ouvido. Sobe ameaças de prisão e açoites, pronunciaram essas palavras. "Não da mais pra ficar calado". Aconteça o que aconteçer, esbravejemos, gritemos se for preciso, abracemos a causa do evangelho que nos salvou e nos tirou das trevas para a luz. Com base no texto bíblico de 1ª Coríntios 9. 1 - 27 façamos o que for preciso para levar a mensagem de salvação aos perdidos deste mundo.
1ª Coríntios 9. 23 Tudo faço por causa do evangelho, com o fim de me tornar cooperador com ele.

domingo, 31 de janeiro de 2010

JOVENS VITORIOSOS

Falar em jovens vitoriosos nos dias em que vivemos não é tão fácil. Muitos jovens estão sendo derrotados pelas drogas, pela prostituição etc. Mas quero me reportar ao texto de 1ª João cap. 2. 13 e 14: Pais, eu vos escrevo, porque conheceis aquele que é desde o princípio. Jovens, eu vos escrevo, porque vencestes o Maligno. Eu vos escrevi meninos, porque conheceis o Pai. Eu vos escrevi pais, porque conheceis aquele que é desde o princípio. Eu escrevi jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus permanece em vós, e já vencestes o Maligno.

João estava escrevendo aos crentes de todas as idades, seus “filinhos” que experimentaram o perdão através de Jesus Cristo. Aqueles que são maduros na fé têm um relacionamento duradouro com Cristo. Os “jovens” lutam contra as tentações de Satanás e vencem. As crianças aprendem a respeito de Cristo, e estão apenas iniciando sua jornada espiritual. Cada fase da vida na peregrinação cristã edifica sobre a fase anterior. Á medida que as crianças aprendem de Cristo, aumentam sua habilidade de vencer as batalhas contra as tentações. À medida que os jovens seguem de vitória em vitória, crescem em seu relacionamento com Cristo. Os mais, velhos tendo conhecido a Cristo durante anos, desenvolveram a sabedoria necessária para ensinar os mais jovens a começar o ciclo novamente. È difícil sim falar de jovens vitoriosos. Mas, não é tão difícil falar de jovens cristãos vitoriosos. Você é um jovem vitorioso porque venceste o maligno quando declarou Jesus como Senhor de sua vida. Você é um jovem vitorioso porque és forte, e a palavra de Deus permanece em vós, e já venceste o maligno. Se por um acaso você não tem nenhuma característica de um jovem cristão vencedor, comece a rever seus conceitos e valores. 1ª João capo 2: 15. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.

Para refletir:

Seu crescimento cristão alcançou um nível de maturidade compatível com a atual fase de sua vida?
Transcrito com algumas adaptações.