Follow by Email

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Quanta dedicação nas campanhas eleitorais!


Quanta dedicação nas campanhas eleitorais!
Estamos sendo bombardeados com tantas investidas vindas dos candidatos as eleições municipais, e, querendo ou não acabamos por aprender alguma coisa. Pelo menos a cantarolar as músicas eleitoreiras. São tantas coisas que fico sobremaneira impressionado. As ruas estão repletas de pessoas panfletando, mostrando planos de governo de seus candidatos, em cada esquina bandeiras tremulando, carros de som pelas ruas divulgando o nome daquele que “vai resolver os problemas do município”. Vão de casa em casa tentando convencer os munícipes de que o candidato tau é o melhor. Quando olho pra tudo isso fico questionando. Por que não há dedicação das igrejas em fazer o mesmo? Nossas campanhas evangelísticas duram em média quinze dias, e nesses quinze dias rara são as vezes que panfletamos de casa em casa. Raríssimas são as vezes que a bandeira do evangelho tremula nas praças e esquinas. Não é difícil perceber o empenho dos trabalhadores nesse período. Também não é difícil notar a atuação de evangélicos dispostos a encarar o sol, a chuva, estradas empoeiradas etc. a fim de apresentar  o suposto “salvador da crise municipal”. É lamentável saber que muitos desses evangélicos são os mesmos que volta e meia dizem que se sentem envergonhados em falar de Jesus pelas ruas, de casa em casa, entregar folhetos, ir às praças. O que será que está acontecendo? Segundo as palavras do profeta Isaías eu diria que em princípio falta temor a Deus. ISAÍAS 29. 13 Por isso o Senhor disse: Pois que este povo se aproxima de mim, e com a sua boca e com os seus lábios me honra, mas tem afastado para longe de mim o seu coração, e o seu temor para comigo consiste em mandamentos de homens, aprendidos de cor; Diria também que falta conhecer o poder do Espírito Santo. É o poder do Espírito Santo que nos encoraja a sair pelas ruas, esquinas praças, com sol ou chuva para anunciar o plano, não de governo, mas o plano de salvação para a vida do homem. Não para anunciar um candidato que possa resolver os problemas da humanidade, mas para anunciar Jesus, que já foi eleito pelo Pai para governar e resolver o maior problema da humanidade, o pecado. ·ATOS 1.8.  Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e serão minhas testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samária, e até os confins da terra. Não é o poder do Espírito Santo que da ousadia para anunciar um candidato ao governo de um município ou cidade. É a necessidade e por muitas vezes interesse próprio. Quero terminar dizendo que temos necessidade de anunciar o evangelho, temos também, não interesse próprio, mas, interesse em ver outras pessoas confiando em Deus, creditando suas vidas, família, casa, cidade, munícipio, país tudo nas mãos daquele que pode tudo, sem possibilidades de erros ou falhas. Dedique, anuncie se entregue, de seu melhor por aquele que deu a vida por você. Jesus.   “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu único filho, para que todo aquele que nele crê, não pereça mas tenha vida eterna” (João 3. 16).
Sem. Carlos D. Corrêa

sexta-feira, 1 de junho de 2012

JESUS VAI COM VOCÊ!

Analisando o texto de Marcos capítulo 5. 21 - 24 a parte A do verso 24 me chamou atenção; Jesus foi com ele.O pedido de Jairo, um dos principais da sinagoga.No Novo Testamento encontramos, além desta mais duas referências a pessoas que ocupam esta função: a primeira é em Mc. 5,31-43 onde Jesus aparece a curar, a filha de Jairo, chefe da sinagoga; a segunda vez é a figura de Sóstenes, em Act. 18,16 também ele nomeado sem mais detalhes, chefe da sinagoga.
As competências do chefe da sinagoga eram a presidência da assembleia, interpretar a lei, decidir sobre questões legais, administrar a justiça, abençoar os casamentos e decretar os divórcios.
Dada a sua posição de elevada influência na comunidade de Corinto, a conversão do seu chefe, Crispo, além de ter arrastado consigo os membros da sua família, também impressionou muitos outros judeus. Talvez possa ser esta uma das razões que para o autor dos Actos, se mostrou relevante o relato desta história.
Segundo uma inscrição encontrada na sinagoga de Corinto, o chefe da sinagoga tinha também a responsabilidade da manutenção do edificio. Como esta função exigia uma certa disponibilidade de dinheiro, podemos supor que Crispo pertencesse também a uma classe social elevada.
É importante notar nas narrativas do novo testamento que Jesus atraía multidões por onde passava.Seria esdruxulo querer comparar Jesus com alguns líderes religiosos atuais. Não é e jamais será essa a intenção. O que na realidade acontece é que alguns líderes religiosos da atualidade arrastão multidões, o diferencial entre Jesus e eles é que Jesus não escolhia quem deveria segui-lo, pobres, mendigos, aleijados, ricos, doutores da lei, gente de várias classes sociais; "Vide a mim todos que estais cansados e sobrecarregados..." Hoje o que vemos são líderes que escolhem as pessoas por, raça, classe social, iletrados, cultos, curso superior etc. E cada um deles pregam aquilo que o povo quer ouvir, e não o que precisam ouvir.
Jairo não era pobre, tinha dinheiro, recurso suficiente para investir na saúde de sua filha.

Sua necessidade agora era maior do que sua posição social, maior do que sua riqueza, sua filha estava morrendo. Ele então ignora os dogmas que se opunha a Jesus e experimenta o poder de Cristo, querendo saber se ganharia ou não algo com ele.
Jairo representa a humanidade. Ele tinha uma filha em necessidade, que precisava da atenção de Jesus, o caso dela ela extremamente grave. Todos nós temos em nossas vidas nossas “filhas”, que precisam de Jesus. Eu dizer pra você que assim como Jesus foi com Jairo ele também vai com você.
Mas você precisa tomar algumas atitudes.
1- Você deve aproximar-se de Jesus como fez Jairo e como nos orienta Tiago 4. 8
2- Você deve abrir mão da sua posição... (a necessidade é maior.
3- Você deve prostra-se aos pés de Jeus (Mc. 5. 22)
4- Você precisa ser insistente v. 23
5- Você dever reconhecer Jesus como a única esperança v. 23

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

AS SETE PALAVRAS DE JESUS NA CRUZ

PIB em São Vicente dia 14 de Agosto de 2011 – Mês da Juventude,
AS SETE PALAVRAS DE JESUS NA CRUZ
1. "Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem..." (Lucas 23:34)
2. "Em verdade te digo que hoje estarás comigo na Paraíso" (Lucas 23:43)
3. "Mulher, ... eis aí o teu filho" (João 19:26)
4. "Deus meu... Deus meu... porque me desamparaste?" (Mateus 27:46)
5. "Tenho sêde ..." (João 19:28)
6. "Está consumado..." (João 19:30)
7. "Pai, nas Tuas mãos entrego o meu espírito" (Lucas 23:46)
1ª Frase
Lucas 23.34 E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes.
... não sabem... radical- conhecer, estar ligado intimamente, relacionar-se, saber como, compreender, poder, ser capaz, entender, reconhecer, vir a conhecer, lembrar, respeitar ou interessar-se.
Shedd comenta o verso 34 assim: Perdoa-lhes... Jesus intercedeu pelos transgressores. Isso revela o coração misericordioso de Deus diante do pecador, que Ele ama infinitamente enquanto o mesmo pecador age em ignorância. Isaías 53.12 Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores.
Atos 17. 30 Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam;
Em João 3.17 diz que: Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.
2ª "Em verdade te digo que hoje estarás comigo na Paraíso" (Lucas 23:43)
paraíso = um lugar de benção acima da terra; Lc. 23. 43; 2 Co. 12. 4; Ap. 2. 7.
Isto significa compartilhar o lugar a condição de bem-aventurança celestial daqueles que morrem no Senhor, Ap. 13. 14 diz: Bem aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o espírito para que descansem das suas fadigas.
Na carta aos Romanos 3.20, a palavra afirma que nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei, vem o conhecimento do pecado, fazendo-se necessário que o Senhor Deus entregasse o seu próprio filho a habitar entre nós, o qual deu a sua vida em sacrifício vivo numa cruz, porque sem derramamento de sangue não haveria remissão dos pecados, o qual também ressuscitou ao terceiro dia para a esperança da nossa salvação ( Romanos 4:25 ).
E hoje, pela aspersão do seu sangue, achamos lugar de arrependimento porque Cristo levou sobre si o pecado do mundo inteiro (Isaias capítulo 53), abriu a porta do paraíso e nós, sendo inimigos de Deus, fomos reconciliados pela morte do seu filho, e, pelo seu sangue restabeleceu a paz entre Deus e o homem.
Mateus 10.32: Disse Jesus: Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus.
Romanos 109: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus Cristo, e com teu coração creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo.
Lucas 5.31 e 32, Ele disse: Não necessitam de médico os que estão sãos, mas os enfermos. Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores ao arrependimento. E no livro de Lucas 19.10, Jesus ainda disse: Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.
3ª. "Mulher, ... eis aí o teu filho" (João 19:26)
João 19.25 a 30: E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria de Cleofas, e Maria Madalena.
Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e o discípulo a quem Ele mais amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí a tua mãe. E desde àquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.
Nestas últimas palavras de Jesus estando na cruz, "Ele" evidenciou que o seu vínculo com Maria havia encerrado, porque a parte humana, a parte material de Jesus Cristo a qual Maria havia desenvolvido no seu ventre, havia sido morta em sacrifício vivo para remissão dos pecados de muitos. Porém, a parte espiritual que veio de Deus Pai, permanece viva porque Jesus Cristo ressuscitou com um corpo glorificado, o qual Maria não tinha mais nenhum vínculo. Foi elevado ao céu, está sentado à direita do Pai e pelos pecadores intercede.
Jesus disse ainda que o discípulo a quem Ele mais amava seria o seu filho, e Maria a sua mãe, isto porque ambos eram humanos, carnais; mas Jesus Cristo é Espírito, e o carnal não pode sobrepor o espiritual.
João 3:6 - Disse Jesus: O que é nascido da carne é carne, o que é nascido do Espírito é espírito. Apesar de, a parte material de Jesus ter sido desenvolvida no ventre de Maria, Ele foi “gerado” pelo Espírito Santo, pela virtude do Altíssimo (Lucas 1.35). E o anjo ainda avisou Maria: “Ele será chamado filho de Deus”.
O Senhor Jesus teve a preocupação de não deixar Maria desamparada, encarregou de cuidá-la a pessoa da sua maior confiança, o apóstolo a quem "Ele" mais amava. Criou entre eles o maior vínculo de amor fraterno entre os seres humanos, a relação mais harmoniosa, o amor maternal, para conforto de ambos. Podemos observar também que apesar do respeito que o Senhor Jesus Cristo tinha por Maria, pois era sem pecado, em nenhum momento, dentro do Evangelho, Jesus Cristo deu o tratamento de mãe para Maria, "Ele" sempre a tratava por "mulher".
4ª. "Deus meu... Deus meu... porque me desamparaste?" (Mateus 27:46)
Getesêmani - lugar de azeite- Nome de um lugar onde se extraía óleo das azeitonas
A palavra do Senhor, no livro de Isaias Capítulo 53:3 diz que Jesus Cristo era homem de dores. Tinha os nossos sentimentos, sentia as mesmas dores, as nossas necessidades físicas, e sabia da grande aflição que havia de passar. Angustiou-se muito, mas não temeu, nem recuou, antes buscou conforto naquele que tem poder para todas as coisas.
No Evangelho de Marcos 14.32 a 36 a palavra diz: E foram a um lugar chamado Getsêmani, e disse aos seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto eu oro. E tomou consigo Pedro, e a Tiago, e a João, e começou a ter pavor, e a angustiar-se.
Esta palavra grega de origem hebraica ou aramaica, significa Lagar de azeite, e é o lugar onde Jesus foi orar na Sua agonia depois da última Ceia e onde foi preso e a que também se chama o Jardim das Oliveiras :
Foi aqui que se deu a AGONIA DE CRISTO
Esta expressão Agonia de Cristo refere-se à angústia sofrida por Cristo no Jardim das Oliveiras ou Getsemani, depois da Última Ceia e antes de ser preso pelos soldados judeus e romanos conduzidos pelo traidor Judas, e levado à crucifixão.
A palavra Agonia é usada para explicar o fenómeno do Suor de Sangue, fenómeno este fisiologicamente impossível.
 Assim se explica que Jesus tivesse dito :
- «Meu Pai, se é possível passe de Mim este cálice; todavia, não seja como Eu quero, mas, como Tu queres». (Mt.26,39)
- «Meu Pai, se este cálice não pode passar sem que Eu o beba, faça-se a Tua vontade. (Mt.26,42).

5ª. "Tenho sêde ..." (João 19:28)
Evangelho de João 19. 28 e 29 a palavra diz: Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede. Estava, pois, ali um vaso cheio de vinagre. E encheram de vinagre uma esponja e, pondo-a num hissopo, lha chegaram à boca.
A PROFECIA DO SOFRIMENTO DO MESSIAS NO LIVRO DOS SALMOS
Salmos 69.3 a 21:
Salmos 42.2 - A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo, quando entrarei e me apresentarei ante a face de Deus?
Salmos 143.6 - Estendo para ti as minhas mãos, a minha alma tem sede de ti, como a terra sedenta.

6ª "Está consumado..." (João 19:30)
Tetelestai = está completo = está pago
A História registra muitas frases célebres, mas nenhuma tão célebre quando esta de Jesus, no Calvário. “Duque de Caxias, na batalha de Itororó: “Sigam-me os que forem brasileiros”.” Júlio César, no ano 49, na batalha do Rubicão: “A sorte está lançada” D. Pedro I, 1822, ás margens do Ipiranga: “Independência ou morte”.
Jesus Cristo, na guerra do Calvário: TETELESTAI! ESTÁ CONSUMADO!
– “Está consumado ” Tetelestai era o carimbo colocado sobre o documento de compra de um escravo quando todo o preço já havia sido pago.
Tetelestai era o registro legalmente reconhecido de que está pago. O Escravo foi comprado e jamais alguém poderá cobrar novamente o seu preço. Durante o primeiro século, era prática comum pregar o documento de acusação de um preso na porta da sua cela. Os crimes de que era acusado e o castigo que lhe tinha sido imposto, estavam descritos nesse documento. Depois do preso ter cumprido a sentença, o documento era retirado da porta, e cancelado pela aposição da palavra tetelestai – (cumprida na totalidade). O referido documento era-lhe então entregue, e ninguém podia jamais acusá-lo dos mesmos crimes. Quando Jesus disse a palavra “consumado”, significava “a dívida está quitada”!
Naquele tempo, a palavra tetelestai era também utilizada com relação a campanhas militares bem-sucedidas contra o inimigo. Quando um general regressava do campo de batalha e fazia marchar os seus prisioneiros de guerra pelas ruas de Roma, costumava proclamar a sua vitória gritando: tetelestai… tetelestai. Com este grito de vitória, fazia afirmação clara que o inimigo havia sido vencido e que o seu poderio havia sido quebrado: Missão terminada! Embora esta palavra tenha sido a Sua última palavra antes de expirar na Cruz, Jesus também proclamou com ela a Sua vitória sobre o inimigo com o grito: Tetelestai!
Essa palavra, “Tetelestai”, está carimbada na conta de todo aquele que aceita o sacrifício de Jesus Cristo, e nasce de novo. O sacrifício de Jesus na cruz pagou totalmente a dívida do pecado! Não foram as últimas de um Messias derrotado, fracassado, fraco e ingênuo. Foi um Grito de Vitória por ter atingido 100% os Propósitos do Pai. Os Propósitos foram totalmente concretizados.
Estas últimas palavras significavam:
Eu consegui o que nenhum animal, nem sangue, nem sacrifício conseguiu. Eu terminei a grande obra de Meu ministério terreno. Eu paguei toda a dívida resultante dos pecados dos homens. Eu cumpri todas as profecias relacionadas com minha Primeira Vinda. Eu anulei todas as sentenças decretadas pela ira de Deus. Eu afastei todo o peso da ira de Deus contra os homens. Eu rasguei o véu que impedia o acesso ao Santo dos santos celestial. Eu venci o terrível vencedor milenar dos homens. Eu completei as feridas e pisaduras que vão curar milhões e milhões. Eu acabei de abrir a porta do Céu para todos os que crêem. Tenho executado os grandes desígnios do Todo-Poderoso. Tenho satisfeito as exigências da justiça. Tenho cumprido tudo quanto foi escrito pelos profetas. E agora o caminho para o Santo dos Santos se tornou manifesto por meio do meu sangue.
O que foi consumado?
Os sofrimentos ordenados por Deus foram terminados. Todos os símbolos e profecias do Velho Testamento foram cumpridos. A Lei foi abolida. Rm 10:4 – Aquelas leis apontaram à cruz. O preço do pecado foi pago completamente. A maldição que estava sobre nós foi quebrada – Gl 3.13 O trabalho da Redenção estava agora completo. Esta é a Missão, a Obra Principal. Morrer foi uma grande vitória para Jesus. “…para que pela morte, Ele pudesse destruir aquele que tinha o poder da morte, isto é, o Diabo” (Hb 2:14).
E Ele fez isso tudo POR VOCÊ. Que amor é esse!
João 17.4, disse Jesus: Eu glorifiquei-te na terra, tendo consumado a obra que me deste a fazer.
Está consumado. As profecias haviam sido cumpridas, o Cordeiro inocente, pela aspersão do seu sangue, havia aniquilado o pecado. Triunfou sobre a morte cravando-a na cruz (Colossenses 2.15). Sendo Ele consumado, veio a ser a causa da eterna salvação para todos os que lhe obedecem.
João 4:34 - Disse Jesus: A minha comida, é fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra.
PROFECIA DO SACRIFÍCIO E CONSUMAÇÃO DO MESSIAS
Isaias 53.4 a 8 - Verdadeiramente, Ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputamos por aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas Ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e, pelas suas pisaduras, fomos sarados. Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho, mas o Senhor fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos. "Ele" foi oprimido, mas não abriu a boca; como um cordeiro, foi levado ao matadouro e, como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, ele não abriu a boca. Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes e pela transgressão do meu povo foi ele atingido.

7ª."Pai, nas Tuas mãos entrego o meu espírito" (Lucas 23:46)
No grego: E gritando com voz forte Jesus disse: em tua mão confio o meu Espírito...
Mateus 27.50 a 52: E Jesus, clamando outra vez com grande voz, entregou o Espírito. E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras. E abriram-se os sepulcros, e muitos corpos de santos que dormiam foram ressuscitados. No momento em que Cristo rendeu o seu Espírito, o véu do templo rasgou-se de alto a baixo, estávamos libertos da lei, sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus. (Romanos 3.24).
I Pedro 1.18, 19: Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado.

Apocalipse 5.9: A palavra do Senhor diz: E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir os seus selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda tribo, e língua, e povo, e nação

Sem. Carlos D. Corrêa

terça-feira, 21 de junho de 2011

O TABERNÁCULO

O Tabernáculo
Tenda provisória, onde o Senhor falava a seu povo, Ex 33.7-10.

Construção portátil, em forma de tenda, que Deus ordenou a Moisés fizesse para servir de sua morada no meio do povo de Israel, Ex 25.8,9, donde lhe veio o nome de habitação, Ex 25.9; 26.1, lugar onde Jeová falava a seu povo, Ex 41.34,35, onde se achavam depositadas as tábuas da lei ou o testemunho, “o tabernáculo do testemunho”, Ex 38.21; cp. 25.21,22; Nm 9.15, também denominado “casa do Senhor”, Ex 34.26; Js 6.24.
Os materiais para construção do tabernáculo foram adquiridos ali mesmo em larga quantidade. As madeiras vieram das florestas do deserto. Deram os homens e as mulheres os braceletes, as arrecadas, os anéis e os ornatos dos braços; todos os vasos de ouro foram postos à parte para donativos do Senhor. Se algum tinha Jacinto, púrpura e escarlata, linho fino e pelos de cabra, peles de carneiro, metais de prata e de cobre, paus de cetim para vários usos, tudo ofereceram ao Senhor. Os príncipes ofereceram pedras cornelinas e pedras preciosas para o éfode, Ex 35.21-29. O largo dispêndio de metais preciosos para uma construção temporária ficou plenamente justificado, uma vez que todos os materiais tinham de ser aproveitados, quando se procedesse à construção permanente.
O Senhor dá a Moisés as instruções minuciosamente para a edificação do tabernáculo, a começar pela arca, que era o ponto central para o encontro de Jeová com o seu povo, Ex 25.22.
I. Feições essenciais e permanentes: a arca, a mesa dos pães da proposição e o candeeiro de ouro, Ex 25.10-40, símbolo de cousas celestiais, Hb 9.23. Seguem-se os pormenores, Ex 26.1-37; para o altar dos sacrifícios, Ex 27.1-8; para a localização do átrio, Ex 27.9-19. O candeeiro deveria ser alimentado com azeite puro de oliveira para conservá-lo sempre aceso, Ex 27.20,21. O cap. 25.30 de Êxodo fala sobre os pães da proposição que deveriam estar sempre na presença de Deus.

II. Aproximação a Deus, por mediação do sacerdócio. Sua instituição, Ex 28.1; suas vestes, Ex 28.2-43, modo de sua consagração, Ex 29.1-36. Depois de criada a ordem sacerdotal, vêm as especificações referentes ao altar, Ex 29.37, e ao sacrifício perpétuo, Ex 29.38-42.

III. Passa em seguida para o altar dos incensos, Ex 30.1-10, simbolizando a adoração que o povo santificado oferece a seu Deus. Somente neste lugar é que se fala do altar dos perfumes em separado dos demais objetos que ornavam o tabernáculo. Deveria ocupar logicamente o ponto em que o povo oferecia as suas adorações ao Senhor. Em outros lugares, figura ele em conjunto com as outras peças na ordem seguinte: a arca, a mesa, o candeeiro, o altar dos incensos e o altar dos sacrifícios, como se diz em relação a estes objetos, Ex 37.25-28, na enumeração de todas as peças, Ex 39.38. nas instruções sobre a maneira de levantar o tabernáculo, Ex 40.5, e na história final de sua elevação.

IV. Provisões para as necessidades do culto: A contribuição de meio siclo preço do resgate de cada pessoa, Ex 30.11-16, a bacia de bronze, Ex 30.17-21 as santas unções de óleo, Ex 30.22-33, e o incenso, Ex 30.34-38.
O tabernáculo formava um paralelogramo de 18 m de comprimento por 6 m de largo, com entrada pelo lado do oriente. A parte traseira e os dois lados eram feitos com 48 tábuas, 20 de cada lado e 8 nos fundos, das quais, duas formavam os ângulos, todas cobertas de ouro.
As tábuas apoiavam-se em bases de prata duas em cada tábua, ligadas entre si por barrotes de pau de cetim; cinco para conterem as tábuas a um lado do tabernáculo outros cinco para o outro lado, e cinco para o lado ocidental, presos a argolas de ouro, Ex 26.15-30.
Toda a frente servia de entrada, onde se erguiam cinco colunas de pau de cetim douradas, cujos capitéis eram de ouro e as bases de bronze, de onde pendia um véu de jacinto e de púrpura. O interior dividia-se em duas secções, separadas por uma cortina suspensa de quatro colunas douradas, com capitéis de ouro e bases de prata, Ex 26.32,37. Os dois compartimentos ficavam na parte ocidental, onde se achava o santo dos santos e o santuário, ou lugar santo, Ex 26.16.

Havia quatro cortinas:

I. A coberta e os lados tinham uma cortina de linho retorcido de cor de jacinto, de púrpura e de escarlata com querubins. Esta cortina era feita em dez pedaços, cinco pedaços eram enlaçados uns com os outros, e os outros cinco se uniam do mesmo modo, de sorte que formavam duas peças que se prendiam entre si. Uma formava a coberta e três lados do santo dos santos, e a outra, a coberta e outros dois lados do santuário.

II. A principal coberta externa do Tabernáculo, era de pelos de cabra e consistia de onze cobertas estreitas. Estas onze cobertas se ajuntavam umas às outras, formando duas secções: uma com cinco, e outra com seis, A parte formada pelas cinco cobria o teto e três lados do santo dos santos; a mais larga cobria o teto e os lados do santuário.

III. A terceira coberta era de peles de carneiro, tintas de vermelho.

IV. À entrada do santuário pendia um véu e outro em frente do santo dos santos. Cada um deles era de cor de jacinto, de púrpura e de escarlata, e de linho fino retorcido, com lavores de bordados, com figuras de querubins, para indicar que ninguém se poderia aproximar da presença de Jeová.
O tabernáculo ocupava um átrio retangular de 100 côvados de comprimento na direção de leste a oeste, e de 50 de largura de norte para sul, cercado por vinte colunas de cada lado com outras tantas bases de bronze e capitéis de prata, cada uma separada da outra, 5 côvados, com cortinas de linho retorcido. Na entrada do átrio havia uma coberta de vinte côvados, de jacinto, de púrpura, de escarlata tinta duas vezes, e de linho fino retorcido, com quatro colunas e outras tantas bases, Ex 27.9-18.
O tabernáculo ocupava a metade da parte ocidental do átrio; o mar de bronze e o altar dos sacrifícios ficavam na outra metade para o lado do oriente sem coberta alguma A arca era o ponto de convergência de todo o cerimonial e ocupava o santo dos santos. No santuário, bem defronte do véu que o separava do santo dos santos, erguia-se o altar dos incensos, que, não obstante, também pertencia ao oráculo, 1Rs 6.22; Hb 9.3,4. Neste mesmo apartamento estava a mesa dos pães da proposição ao lado direito, e ao lado esquerdo, o candeeiro de ouro. Fora do átrio, estava o mar de bronze e o altar dos sacrifícios.
A dedicação do tabernáculo fez-se no primeiro dia do segundo ano depois que os israelitas saíram do Egito. Durante o dia, cobria-o uma nuvem, e durante a noite, pairava sobre ele uma coluna de fogo, enquanto durou a viagem pelo deserto. Quando se levantava acampamento, os levitas se encarregavam de desmontar o tabernáculo e de novo o levantarem em outro lugar, Ex caps. 26; 27.9-19; 35.4-36; 38; 40.1-38. Enquanto durou a conquista de Canaã, a arca permaneceu no campo em Gilgal. Depois de se estabelecerem na terra prometida, Josué levantou o tabernáculo em Silo, onde permaneceu em todo o tempo dos juizes, Js 18.1.
Parece que em torno do santuário havia dependências destinadas aos sacerdotes e à guarda das ofertas que o povo fazia ao Senhor, 1Sm 3.3; cp. acampamento dos levitas em torno dele, Nm 3.23,29,35. Estas dependências com certeza Eram protegidas de modo diverso, por que era o tabernáculo. Fala-se em tendas, 2Sm 7.6, em porta do tabernáculo do testemunho, Js 19.51; 1Sm 2.22, em habitação de Jeová, Js 22.19,29; Jz 19.18; 1Sm 1.7,24; 3.15. Quando os filisteus tomaram a arca, o tabernáculo perdeu toda a sua glória e todo o seu valor, Sl 78.60. No reinado de Saul a arca esteve em Nobe, 1Sm 21.1.
No reinado de Davi e no de Salomão, até à construção do templo, o tabernáculo estava num alto que havia em Gabaom, 1Cr 16.39; 21.29. Depois que Salomão edificou o templo, segundo o modelo do tabernáculo, porém em mais largas proporções, tudo que havia no tabernáculo foi transferido pra ele. 1Rs 8.4; 2Cr 5.5
Fonte: Dic. Da Bíblia John Davis
________________________________________

sexta-feira, 17 de junho de 2011

CONGRESSO DE VOCACIONADOS EM RIO BONITO

Aconteceu nos dias 10, 11 e 12 de Junho, o CONGRESSO DE VOCACIONADOS em RIO BONITO. Vários pastores estiveram presente. Também missionários da Junta de Missões Mundiais e Missões Nacionais. Foi um final de semana abençoador, onde Deus falou claramente com cada vocacionado que esteve presente.

Pastor Gilson Breder e Alunos dos Seminário Teológico Ministerial batista Litorâneo - Cabo Frio.

Radical África 8.

Radicais de Missões Nacionais.

sábado, 4 de junho de 2011

PROTESTO CONTRA PL 122 BRÁSILIA

No último dia 1º de Junho aconteceu em Brasília a manifestação contra PL 122. O manifesto contou com aproximadamente 50 mil pessoas.

Oremos por nossos irmãos e irmãs da bancada evangélica.
Ninguém pode calar o povo de Deus.